wrapper

Plantão

Com recórde de desaprovação, a adminsitração Caçambeiro usa de manobras desesperadas para evitar o inevitável: a derrocada final de seu mandato, já em vias finais de concretização, segundo informou ao Luzilândia.net fonte seguras. A última estratégia para conter sua saída final da política luzilandenses e da vida do povo ordeiro da cidade foi um "ajeito" para qie a suplente de vereador, Morgana Marques, assumisse uma vaga na Câmara Municipal de Luzilândia, na vaga de Deusimar das Chagas Costa (MDB), que assume a Secretaria Municipal de Obras e Urbanismo.

 


Em uma sessão tacanha, simpples e sem apoio popular e com meia dúzia do que resta de simpatizantes do governo municipal, a suplente Morgana Marques, rejeitada nas urnas. assumiu na noite desta sexta-feira (08), uma cadeira no Legislativo.


De acordo com comentários públicos, a suplente de vereadora seria conhecida pelo discurso forte quando de oposição e teria sido alçada à função considerada como de "um cão de guarda" para conter severas críticas por parte da oposição de colegas legisladores e da população que conta o instante para que, o considerado "maior erro político da história", seja enfim corrigido e Luzilândia volte ao caminho da legalidade, do desenvolvimento e da sustentabilidade.


Morgana seria, segundo informações repassadas ao Luzilândia.net, uma coadjuvente de Caçambeiro para combater vozes fortes e atuantes, como a do vereador Fernando Aguiar, que tem demonstrado o terror administrativo que se instalou na cidade, protogonistas dos mais diversos escândalos, antes mesmo de assumir a prefeitura. No entanto Morgana disse, segundo também informações colhidas pela portal, que "não serei mais uma babona de político", fazendo referências aos demais colegas vereadores e aliados da adminsitração.


Os vereadores da oposição, apesar de desejarem boas vindas, sabem o histórico de Morgana. O recado dela aos aliados e ao vereador Fernando Aguiar teria sido dado, que não toleraria falta de decoro nem estaria ali para acobertar os terríveis e desastrados atos administrativos da gestão "O Caçambeiro".

O "Cacambeiro" está na berlinda, onde seu desgoverno estaria em seus momentos finais, para o alívio da população. A administração, que já é conhecida como "o maior desastre político de Luzilândia" tenta, de forma desesperada, conter a debandada de aliados, a revolta da população e o ataque feroz de ex-aliados. A eventual contratação de "cão de guarda" em nada alteraria a situação que a incompetência na gestão e a falta de capacidade política construiu.

Esse é mais um capítulo dos derradeiros que restam do que há de pior na vida pública da cidade, em tempo de correição.

Last modified on Saturday, 09 June 2018
Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Blue Green Red Radian
Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family